03 setembro 2013

O encontro.

| |

Eu estava indo visitar meus pais que já não via a mais ou menos uns seis meses por causa da faculdade de Arquitetura, eles sempre me surpreendiam com um almoço e aproveitavam para chamar amigos e familiares. De pé na fila do metro o choro de uma criança despertou minha atenção ela estava a minha direita no colo da mãe eu a observei e sorri. Quando levantei meus olhos me deparei com um rosto que para mim era familiar e eu tive quase certeza que aquele breve encontro de olhares não fazia parte daquele primeiro encontro. Logo o metro chegou e eu o perdi em meio à multidão.
Minha viagem naquela noite seria longa eu iria da zona sul até o centro da cidade e depois pegaria dois ônibus ate a casa dos meus pais no interior do estado. A noite estava fria e chuvosa e eu ansiava por um cobertor quentinho e um chocolate quente.
Eram exatamente 23: 00 quando cheguei na casa dos meu pais e eles já estavam-me esperando na porta, como sempre com um sorriso largo no rosto e os braços abertos, que delicia era rever a família.
Não que a vida na zona sul na casa da tia Sophia irmã da minha mãe não fosse boa, mas shopping e cinema não eram supria a falta que os meus pais faziam.
Minha mãe estava um pouco mas forte do que da ultima vez, mas linda como sempre cabelos soltos, e sabia se vestir muito melhor do que eu. Meu pai era bem mas velho do que minha mãe mas a idade não o tinha feito perder o charme.
Lembro que conversamos tanto naquela noite que quando nos demos conta já eram 3 da manhã, meus pais se recolheram e eu ao caminhar pela aquela casa reparei o quanto tudo continuava no mesmo lugar o quanto aquela casa me arremetia a tantas recordações boas,o quanto eu fui feliz naquele lugar, no meu lugar.
O canto dos pássaros me despertou naquela manha de domingo, e eu sabia que aquele dia seria muito especial, sempre esperava ansiosa por este momento sempre que eu vinha para casa dos meus pais afinal eu não tinha como visitar todos então eles sempre viam-me ver..
Fui tomar um bom banho e definitivamente meus pais precisavam trocar a parte hidráulica daquela casa era muito antiga e assim que volta-se para a casa da minha tia eu iria procurar alguém competente para fazer isso mas meus pensamentos foram interrompidos com a campainha, e eu fiquei imaginando quem poderia ter chegado.
Comecei a me vestir o mas rápido possível, coloquei a sandália e nisso ouvi quando minha mãe dizia.
_Que alegria te ver aqui tem tanto tempo que não nos vemos ninguém nos avisou que você estava na cidade. Paloma nem vai te reconhecer.
_Paloma esta ai? Ele perguntou com surpresa. Pensei que ela não morava, mas aqui.
sim chegou ontem, ela não mora mas nos visita assim que pode.Más fica a vontade que eu vou chama-la.
_Paloma querida vem aqui na sala. Eu estava curiosa para saber quem era aquela pessoa que eu não reconheceria, eu estava terminando de passar meu batom favorito quando ouvi minha mãe me chamando e logo segui em direção a sala,foi quando me deparei com aquele rapaz aquele que eu tinha visto na fila do metro na noite anterior aquele cuja fisionomia me era familiar e aquele sorriso como pude esquecer aquele sorriso.
_Paloma, que bom te ver.
_Caio quanto tempo



                                                                                                                                        Continua...

0 comentários:

Postar um comentário